Torne-se excelente.

Olá pessoal!

Sem muito tempo para postar. Me deparei com um link que estava perdido aqui no meio das minhas coisas que não entendo como não divulguei ele aqui para vocês. O texto é excelente. Fala muito sobre o nosso trabalho e sobre como podemos conduzir nossas vidas. Se você é um profissional ou quer se tornar um da área de Internet, você não pode deixar de ler o que vem a seguir:

By Klaus Wuestefeld

1) Torne-se excelente.

Seja realmente bom em alguma coisa. Não fique só choramingando ou
querendo progredir às custas dos outros. Não pense q pq vc sentou 4
anos numa faculdade ouvindo um professor falar sobre software q vc
sabe alguma coisa. Jogador de futebol não aprende a jogar bola tendo
aula. Ele pratica. Instrumentistas geniais nao aprendem a tocar tendo
aula. Eles praticam. Pratique. Chegue em casa depois do trabalho e da
aula e pratique. No final de semana, pratique.

Crie seu próprio virus, seu proprio jogo, seu proprio SO, seu proprio
gerenciador de janelas, seu proprio webserver, sua propria VM, qq
coisa. Varias coisas.

Nao precisa ser só programacao. Pode ser networking, vendas, etc. Só
precisa ser bom mesmo. Tenha paixão pela coisa.

As melhores praticas do mercado sao polinizadas primeiro nos projetos
de software livre. Aprenda com eles.

Discípulo, Viajante, Mestre: Primeiro seja um discipulo, tenha mestres
locais, aprenda alguma coisa com alguem realmente bom, qq estilo.
Depois viaje, encontre outros mestres e aprenda o estilo deles. Por
fim, tenha o seu estilo, tenha discípulos, seja um mestre.

Vou fazer o curso da Mary Poppendieck em SP semana q vem e qdo tiver o
curso de Scrumban do Alisson e do Rodrigo quero fazer tbem.

"Torne-se excelente" tbem pode ser chamado de "Melhoria Continua" ou "Learning".

2) Não seja deslumbrado.

Desenvolvimento de software é a mesma coisa há 60 anos: modelo
imperativo. Há 30 anos: orientação a objetos. Bancos de dados
relacionais: 30 anos. ("Web", por exemplo, não é uma tecnologia ou um
paradigma. É meramente um conjunto de restrições sobre como
desenvolver e distribuir seu software).

Não corra atras da ultima buzzword do mercado. Busque a essência, os
fundamentos.

Busque na wikipédia e grokke: determinismo, complexidade de algoritmos
"O()", problema de parada de turing. Pronto, pode largar a faculdade.
Falando sério.

Trabalhe com software livre. Não dê ouvidos a grandes empresas,
grandes instituições ou grandes nomes só pq são grandes.

Vc acha q vai aprender mais, ter mais networking e mais chance de
alocação no mercado trabalhando em par comigo no Sneer por um ano, 8h
por semana, ou passando 4 anos na faculdade, 20h por semana, pagando
sei la qto por mes?

Vc acha q vai aprender mais trabalhando em par com o Bamboo 6 meses na
linguagem boo e na engine do Unity ou fazendo um ano de pós em "a
buzzword da moda"?

"Nao seja deslumbrado" tbem é conhecido como "Coolness".

3) Mantenha-se Móvel.

Com a demanda q temos hoje no mercado, se vc é desenvolvedor de
software e n consegue negociar um contrato com uma empresa onde vc é
pago por hora e pode trabalhar qtas horas quiser com um minimo de meio
periodo, vc precisa rever a sua vida.

É melhor ter dois empregos de meio-periodo q um de periodo integral,
pq vc pode largar um deles a qq momento.

Vc nunca vai conseguir nada melhor se nao tiver tempo, se nao tiver
disponibilidade pra pegar algo melhor qdo aparecer.

Vc sustenta seus pais e 7 irmaos? Nao. Entao para de ser ganancioso e
medroso no curto prazo, para de pagar facu, mestrado, pós, MBA,
sei-la-o-q e vai aprender e empreender.

Trabalhe remoto. Não é o mais fácil, mas é perfeitamente possível.

Não fique reclamando q está trabalhando demais. Aumente seu preço e
trabalhe menos.

4) Emparceire-se Promiscuamente.

Participe de dojos, de congressos, de projetos de software livre.
Tenha amigos, colegas, conhecidos. Seja conhecido. Nao faça ruído em
seis  projetos e doze fóruns. Ajude de verdade em um ou dois projetos
de cada vez. Ao longo do tempo, vc terá ajudado em varios projetos,
trabalhado em varias empresas.

5) Mentalidade de Abundância.

Ajude seus amigos sem cobrar (a "camaradagem" do Vinícius). Dê
palestras gratuitas. Cursos gratuitos. Participe de projetos de
software livre.

Pare as vezes uma tarde pra receber um amigo seu e explicar seu
projeto. Vá visitar seus amigos nos projetos deles. Viaje com algum
amigo seu pra visitar um cliente dele, só pra conversar e fazer
companhia.

Vc tem um espaço onde dá cursos? É uma Aspercom, Caelum da vida? Chama
os brothers p dar curso. Porra, bola um modelo em q as pessoas podem
se inscrever para cursos variados, pagando um sinal, e mantém tipo uma
agenda pre-combinada: "Será numa terça e quinta a noite, avisadas com
duas semanas de antecedencia". Se rolar, beleza, se depois de meses
nao der quorum, devolve o sinal. Pode ser curso de Prevayler, de
Kanban, de Scrum, de Lean, de Comp Soberana, de Restfulie, de
Cucumber, de Rails, de Teste Automatizado Mega-Avançado, qq coisa.

Chame amigos seus pra dar curso em dupla com vc. Divida clientes.
Divida projetos, mesmo q nao precise de ajuda.

Dizia o pai de um brother meu de infância: "Tudo q custa dinheiro é barato."

6) Busque modelos de custo zero.

Trabalhe em coisas q tem custo administrativo/burocratico/manutencao
zero. Por menos ganho q tragam, depois de prontas, estarao tendo uma
relação custo/beneficio infinitamente vantajosa.

7) Ganhe notoriedade.

Faça coisas massa. Participe de projetos de software livre. Dê
palestras gratuitas. Promova eventos (dojos, debates, grupos de
usuarios, etc).

By Dairton Bassi:

8 - Não tenha medo!

Meta a cara. Arrisque empreender. Arrisque inovar. O que você tem a perder? 
No máximo um emprego, mas isso pode ser revertido facilmente em um mercado 
aquecido como o atual. O pior que pode acontecer é não dar certo. Mesmo assim 
você terá aprendido muito mais do que batendo cartão.
Saia da zona de conforto. Se o seu trabalho estiver fácil e sob controle, 
isso significa que ele não está mais agregando para a sua evolução técnica e pessoal. 

Não desperdice a chance de trocar de função se a nova oportunidade 
for mais desafiadora. Isso fará você crescer tecnicamente e o preparará 
para desafios maiores ainda. Conhecer pessoas novas é tão importante 
quanto manter-se em contato com código.

Não se detenha por insegurança ou pela sensação de despreparo. 
Como você acha que vai ganhar experiência em alguma coisa se sempre adiá-la?

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

Mais um Zend Certified Engineer

Mais uma etapa da vida concluída. No dia 19 de julho, ao meio dia, eu me tornei mais um PHP5 Zend Certified Engineer. Não vou te enganar não, não foi fácil. A prova tem muita pegadinha o inglês da prova é bem tecnico e você precisa de muita calma e paciência para fazer a prova.

Após “aquele” cagaço de clicar em “Finish Exam”, eu fechei os olhos, contei até 10. Ao abrir os olhos, vejo a notícia no monitor:

CONGRATULATIONS! YOU’RE NOW A PHP5 ZEND CERTIFIED ENGINEER.

#nerdpride. Enfim, acho que vocês já estão de saco cheio de tanto que eu falo desta certificação aqui no blog. O post é só para comunicar que eu consegui. Afinal, começou!, termina!. Muita gente ficou torcendo por mim deste o começo e nada mais justo do que vir até aqui e anunciar a conquista da mesma forma que eu anunciei a luta.

Obrigado à todos os que me ajudaram nos tempos de estudo e todos os que torceram por mim.

😀 Até o próximo post 😀

Posts Relacionados:

jGallery – A jQuery Plugin for Image Gallery’s

Olá Pessoal!

Mais um projeto pessoal. Com a oportunidade de um novo trabalho surgiu o jGallery. Um cliente me pediu um plugin parecido com o Lightbox, porém, ele queria que as fotos aparecessem logo abaixo, como uma galeria de fotos onde o usuário pudesse navegar entre as fotos sem sair da famosa “lightbox”. A partir desta necessidade surgiu o jGallery. Um plugin feito em jQuery para exibir de forma elegante uma galeria de fotos.

Características

  • Atalhos de teclado.
  • Se a imagem estourar a área útil do navegador a mesma é redimencionada de forma proporcional.
  • A galeria sempre se ajusta a sua resolução, inclusive a imagem (caso estoure a área útil).
  • Efeitos de transição.
  • Pre-loading de imagem.
  • Interface intuitiva e fácil de utilizar.
  • Compatibilidade com Internet Explorer, Chrome, Safari, Firefox e Opera (foi os que eu testei).

Código-Fonte

http://github.com/igorescobar/jGallery

Demo

http://igorescobar.com/projects/jGallery/

Sugestões

blog [at] igorescobar [dot] com

Posts Relacionados:

Falta pouco para a ZCE

Olá pessoal, este é um post de muita alegria (hehe).

Faz 4 semanas que eu estou na luta para me tornar um Zend Certified Engineer. Dos 10 simulados que eu comprei no zend shop este é o resultado no meu quinto simulado. Confesso que no começo apanhei um pouco. Tem muita coisa que o exame cobra que é decoreba. Só o dia-a-dia com PHP para te ensinar certas coisas.

No meu quinto simulado esta é a primeira vez que eu tiro excellent em todos os tópicos do exame. Agradeço a todos os que me ajudaram nesta fase de estudo, principalmente Fernando Mantoan, Felipe Ribeiro e Jaydson Gomes. – Vocês são foda!

Vou divulgar aqui para vocês os materiais que me ajudaram para a prova da ZCE:

  1. ZEND PHP5 Certification Study Guide (PDF)
  2. Passing the Zend php 5 certification exam
  3. Strings And Regular Expressions
  4. Streams And Network
  5. XML & Web Service
  6. Web Programming & Web Features
  7. Database & SQL
  8. Security
  9. PHP 4 & PHP 5
  10. Object Oriented Programming in PHP 5
  11. Object Oriented Programming: Design & Theory
  12. Zend PHP5 certification Exam study review 10: Supplementary I
  13. Zend PHP5 certification Exam study review 10: Supplementary II
  14. Zend PHP5 certification Exam study review 10: Supplementary III
  15. php.net
  16. Google.com

Posts Relacionados:

Zend Certified Engineer, Vamos?

Arrumei dinheiro. Tomei vergonha na cara. Certificações é sempre um assunto que gera bastante polêmica. Sempre que falamos sobre o assunto, tem sempre alguém que declara guerra e não para de falar sem parar os motivos pelos quais ele despreza as certificações. Não tiro a razão de ninguém.

Mas eu tenho um pensamento que vocês deveriam refletir. Não falo isso generalizando as certificações, estou falando da ZCE.

Minha mensagem é especificamente para as pessoas que amam o PHP assim como eu. Pessoas que realmente levam a sua filosofia e a sua comunidade a sério. Se você não faz a certificação por que tem raiva do mundo, então faça pelo PHP. Quanto mais de nós, profissionais, nos comprometermos com o meio em que trabalhamos, mais informal este mercado deixa de ser e mais ele passa a ser levado a sério.

Eu particularmente quero tirar esta certificação para me testar, ver como eu estou (oficialmente) na linguagem e claro é uma boa oportunidade para aprimorar os conhecimentos, estudar mais e quem sabe isso possa me trazer sorte (rs).

Tirar a certificação este ano não estava nos meus planos. Este ano era para eu ter iniciado a minha pós-graduação em Engenharia de Software, porém, não estou tendo condições financeiras de pagar o curso este ano.  Sem grana, resolvi adiantar a certificação e inverter as metas.

Este ano “vou” me certificar pela Zend. Já comprei o Zend PHP 5 Certification Bundle, recebi todo o material e agora é só cair de cara nos livros e me preparar para o exame final que pretendo fazer daqui um ou dois meses.

Se você tem interesse em se certificar vai aqui algumas informações que podem te acrescentar algo:

  • Você pode pagar a certificação com qualquer cartão de crédio internacional Visa/MasterCard, PayPal ou Transferência Bancária.
  • Material, simulados e a prova final é em inglês.
  • Os simulados são dados pela php|architect.
  • Os simulados, em teoria são mais difíceis do que a prova oficial.
  • Se você vai bem nos simulados, você vai bem no exame.
  • São 80 questões e você tem 90 minutos para responder (simulado e exame final).
  • O investimento total sai por 165,00 dolares.
  • A prova é bem detalhista. Se você pensa que a parte chata (bitwise operators, manipulação de números exponenciais, hexadecimais e octais por exemplo) não cai, você está enganado.
  • Prepare-se para decorar nome de funções e suas derivadas.
  • Os simulados são online.
  • O exame é aplicado somente em centros habilitados pela Zend.
  • Existem milhares centros espalhados pelo globo (inclusive no brasil).
  • Se você falhar no exame final, não se preocupe, a Zend oferece descontos para uma próxima prova (que eu pretendo não descobrir qual é).

Me desejem sorte 🙂

Igor
[]’s

Posts Relacionados:

Tutorial jQuery – Método $.live();

Hoje vou falar sobre um método do jQuery muito útil, muito mesmo. Mais informações em inglês pode ser encontrada na documentação oficial do método .live().

O Problema

É muito comum quando estamos desenvolvendo aplicações para Internet e precisamos criar ferramentas tão dinâmicas que acabamos por utilizarmos quase todo o potencial que o JavaScript dispõe a oferecer. Nas ferramentas que desenvolvo é muito comum a interface da ferramenta ser controlada e alterada quase que o tempo todo através da manipulacão do DOM e muitas vezes precisamos atachar comportamentos em um determinado elemento da página.

Por exemplo: Temos um sistema de comentários onde todos os comentários são carregados e as respostas destes comentários aparecem como arvore.

  • Comentário 1
  • Comentário 2
    • Resposta do comentário 2
      • Resposta da resposta do comentário 2
  • Comentário 3

E assim vai…

Eu posso responder em tempo real um comentário e ele ja vai aparecer para mim. Tudo via jQuery. Quando fazemos uma varredura no DOM do documento usando os seletores do jQuery, procuramos por todos os botões que tenha a classe “responder” que originalmente ficam sem ação e depois, via jQuery damos ação ao elemento.

$('.responder').bind('click', function() {
  // instruções
});

Neste ponto, temos um problema. O indice de elementos do jQuery é estático, ele não atualiza automaticamente. Se um novo botão responder surgir na tela o jQuery não surtirá efeito sobre ele, pois ele apareceu DEPOIS da primeira varredura no DOM quando eu usei o seletor $(‘.responder’).

Solução

Para corrigir este problema, podemos utilizar o .live() do jQuery. Independente de quando e a quantidade de botões que surgirem na tela o jQuery irá acrescenta-lo em seu índice e você poderá manipula-lo da forma como quiser.

$('.responder').live('click', function() {
  // instruções
});

Caso queira adicionar ao DOM o mesmo comportamento em mais de um evento, basta fazer o seguinte:

$('.responder').live('mouseover mouseout', function(event) {
  if (event.type == 'mouseover') {
    // faça isso
  } else {
    // faça aquilo
  }
});

Ou crie 2 lives separadamente para cada evento.

$('.responder').live('mouseover', function() {
  // instruções
});
$('.responder').live('mouseout', function() {
  // instruções
});

A princípio o conceito pode ser um pouco confuso. Fica difícil de entender isso quando nunca se passou pelo problema. O dia que algo não funcionar como o esperado pelo jQuery nem simplesmente ter sido chamado, lembre-se do $.live();

Igor
[]’s

Posts Relacionados:

Novo ano, nova jornada.

É isso aí! Ano novo, nova jornada!

Antes do ano de 2009 acabar eu já observava indícios de que minha vida estava prestes a mudar. Fui Analista de Sistemas da Visie durante 2 anos. Sou de São José dos Campos e fui contratado pelo Elcio Ferreira no início de 2008 para trabalhar em São Paulo – Capital alocado em um cliente da Visie no centro de São Paulo.

Trabalhei quase 2 anos em um projeto para a ACSP (Associação Comercial de São Paulo) que iria substituir o atual sistema de proteção ao crédito da empresa (o famoso SPC). Neste período eu aprendi bastante. Tive a oportunidade de conhecer pessoas incríveis, que realmente mudaram minha vida diretamente e indiretamente.

Quando o projeto foi chegando ao fim o Elcio não achava mais necessário a minha presença no projeto e achou que eu seria mais útil na matriz da Visie em São Judas. Fui para lá e foi ótimo! conheci um novo modelo de trabalho, pessoas incríveis. Adoro trabalhar em um lugar onde as pessoas são apaixonadas pelo que fazem. A realmente sentirei falta de trabalhar para Visie.

O início de 2010 foi quente para mim. Recebi muitas propostas de emprego neste período, a maioria para sobrinhos faz tudo (#sick) e algumas interessantes. Uma delas foi a oportunidade de trabalhar no Virgula. Fui chamado para entrevista, gostei muito do lugar e pelo que conversamos a equipe também é promissora. Lá eu fiz um teste. Um simulado oficial da Zend (in english) para testar os conhecimentos. Três dias depois eu fui comunicado de que havia sido selecionado para a vaga.

Hoje, dia 16 de março de 2010. Eu encerro a minha jornada como membro da Visie e inicio uma brand new como parte da equipe do Virgula.

Que venha o Virgula, então!

Igor
[]’s

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

Inscreva o seu grupo na Zend

A Zend anúnciou ontem no seu perfil do facebook que irá criar uma área no portal zend.com com o intuito de divulgar os grupos de usuários PHP. Não importa de que país e localidade seja o seu grupo de usuários php. Se você quiser divulgar o seu grupo no site oficial da Zend. Envie um e-mail para localphp[arroba]zend.com com as seguintes informações:

Nome do Grupo
Localização do Grupo (Pais e Estado)
Informações para contato
Site
Uma Logo
Curta descrição do grupo.

É uma boa notícia. Ter o seu grupo reconhecido pela empresa responsável pelo desenvolvimento da linguagem PHP é um ótimo empurrãozinho para o seu grupo crescer. Boa Sorte!

[]’s
Igor.

Posts Relacionados:

Pense Fora da Caixa

Hoje irei compartilhar com você uma questão que me perguntaram em uma entrevista de emprego há uns 5 anos atrás. Essa questão realmente me inspirou e mudou minha perspectiva na maneira pelas quais busco resolver problemas. É uma questão excelente e realmente inspira você a pensar sobre as coisas quando se está em uma entrevista para uma firma de advocacia ou dando uma pausa para um torneiro de poker.

Questão: Você está está dirigindo um carro em uma noite de tempestade e está chovendo pesado quando, de repente, ao passar por uma parada de ônibus, você vê três pessoas esperando por um ônibus:

1. Uma senhora de idade que parece que está a beira da morte;
2. Um amigo das antigas que já salvou sua vida uma vez;
3. O(a) parceiro(a) perfeito(a) que você sempre sonhou em passar o resto da vida;

Qual deles você ofereceria uma carona se coubesse apenas um passageiro em seu carro?

Esse é um dilema ético e moral, então veremos as opções que apareceram na minha cabeça no momento:

– Você poderia pegar a senhora de idade, porque se ela fosse morrer, você podeira salvá-la primeiro;
– Ou você pode pegar seu velho amigo que uma vez salvou sua vida, e essa seria a chance perfeita de retribuir o favor.
– No entanto, você pode nunca mais encontrar seu par perfeito;

Não direi a resposta que eu dei, mas nem preciso, eu não fiquei com o emprego. Entretanto, fiquei intrigado, e liguei uma semana depois para perguntar qual era a resposta certa…

E foi isso que eles me responderam:

O candidato que foi contratado nos deu essa resposta:
“Eu daria a chave do carro para meu velho amigo que levaria a senhora da idade para o hospital. Eu ficaria para trás… e aguardaria o próximo ônibus com a parceira dos meus sonhos”.

Algumas vezes, nós ganharíamos mais de fossemos capazes de ultrapassar nossas limitações. Nunca se esqueça de pensar fora da caixa ou além do óbvio.

Vi este texto aqui.

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

Um pouco sobre certificações (W3C)

Ontem aconteceu a Conferência da W3C Brasil. Infelizmente não pude ir, mas acompanhei tudo pelo twitter através da hash tag #webbr2009.

Diversos assuntos foram discutidos neste dia, dentre eles o que mais me chamou a atenção foi a quantidade de opniões divergentes com relação ao ter ou não ter certificações para os profissionais que lidam com o desenvolvimento front-end todos os dias.

De todas as opniões que foram expressadas neste dia, se juntar tudo e fazer uma categorização das opiniões, vocês vão ver que tudo gira em torno da desilusão dos profissionais quanto a este assunto.

Vi muitas pessoas sendo contra a certificação, pelo fato de muitos ja terem comprovado e sentido na pele o grande interesse de algumas instituições – que prefiro não citar – em vender somente o papel e não o conhecimento.

Depois da discussão que tive com alguns amigos que trabalham na área pude ver que as pessoas não são desiludidas com A CERTIFICAÇÃO em si. Os profissionais estão desiludidos na maneira como ela é vendida e mantida pelas instituições e a forma como as empresas fazem a utilização desta certificação.

A certificação é vendida como se fosse um curso qualquer. Onde o candidato à certificação entra em uma salinha, responde umas perguntas e sai certificado. O que é uma demonstração CLARA de que as instituições não estão nem um pouco interessadas no nível do profissional que sai dali com este papel de baixo do braço e sim pelo dinheiro dos que acreditam que este papel vai mudar o seu mundo – o que tem uma pitada de verdade.

Vi também que muitos estavam “indignados” pelo fato das empresas utilizar tais certificações como filtro em um processo de seleção. Veja bem, eu também acho isso uma sacanagem mas não acho isso, o fim do mundo. A empresa tem um senso equivocado as vezes pensando que se eles ignorarem todos os que não tem certificação e entrevistar somente o que tem estarão fazendo um bom negócio pois os que não tem é lixo – na visão deles.

Mas por outro lado em grandes corporações este filtro serve puramente para agilizar o processo. Imagina uma empresa com uma fila de 3 mil candidatos a uma vaga. Eles iriam demorar 5 anos para entrevistar todo mundo da forma mais humana e minuciosa possível, mas infelizmente, eles acreditam que mesmo ignorando 2 mil sem certificações eles acreditam que pelo menos 10% destes mil que sobraram sejam bons profissionais.  Se pensarmos por este lado, é totalmente aceitável o filtro quando aplicado em uma situação como esta – mesmo sabendo que eles podem ter perdido os steve jobs pessoal deles. Steve Jobs não tem nível superior, imagina ele procurando emprego? milhares de empresas aplicando seus filtros em cima de uma mente brilhante, cool. 😉

A minha opinião sobre estas certificações é: Devemos sim ter certificações. Quanto mais o nosso ramo amadurecer neste sentido e ter instituições que comprovem e testem os profissionais que atuam neste meio é mais um passo que damos rumo a extinção dos sobrinhos. Quanto mais formal tornarmos o nosso ramo de trabalho, mais dificulta o acesso das empresas sérias a profissionais sem compromisso e consideração com o ramo e as pessoas que atuam nele. Tevemos sim ter certificações, talvez tenhamos que amadurecer melhor esta idéia e talvez não oferecermos uma certificação de HTML ou CSS mas sim de Padrões Web, quem sabe…

Se a forma como tudo é “vendido” mudar, estas certificações servirão como uma forma de valorizar o profissional que possui esta certificação. Tudo tende a agregar valor.

Este é um ótimo assunto e que diferente de só fornecer a certificação, devemos GARANTIR que o profissional que porta este selo é um profissional que no mínimo se importa com a gente, com a nossa luta e principalmente, com o cliente.

Meu amigo Chris também falou e apontou suas consideração sobre o debate, vale a pena dar uma lida também.

[]’s
Igor.

Posts Relacionados: