Redes Sociais Aplicada no Desenvolvimento de Aplicações Web

Com a Internet cada vez mais presente na vida de todos, as redes sociais estão ganhando força (muita força). A influência de uma marca nas redes sociais já pode ser convertida em lucro e a grande maioria das empresas já perceberam isso. Essas redes têm sido alvo de muitas empresas para fidelizar e conquistar novos clientes através de ações geniais e muito criativas.

Assim como qualquer outra profissão, as coisas mudam. As tendências mudam. As metodologias mudam. As tecnologias mudam. Tudo muda. Inclusive os desejos e prioridades de nossos clientes. Atualmente as empresas querem estar cada vez mais presentes na vida de cada um de seus clientes. FacebookTwitterOrkutYouTube, etc.. está tudo muito comum e nós precisamos aprender a interagir com estas comunidades para poder dar possibilidade ao seu cliente e potencializar a possibilidade de conversão.

Se você não está familiarizado com o termo “conversão”, podemos dizer que conversão é quando você anuncia e este anúncio é clicado. Isso é chamado de conversão.

O motivo para eu estar aqui hoje, falando sobre redes sociais para vocês, é para dar um puxão de orelha nos profissionais que ainda não estão dando a mínima para este novo (nem tanto assim) conceito de interação. As redes sociais são mais um leque de aplicações que surgiram com a web 2.0. Neste boom, o conceito de interação foi explorado em uma escala muito maior. Junto com todas as inovações e as modificações na forma como interagimos com os sites e aplicativos web hoje, a web 2.0 trouxe o que chamamos hoje de redes sociais.

O meu foco com este post é evangelizar. É fazer com que após você ter lido este post você comece a criar já pensando na integração com as redes sociais. Não faz ideia de como?

Vou te dar algumas ideias:

  • Já pensou que nas notícias do seu site poderia ter a possibilidade dos usuários comentarem nas notícias e replicarem o seu comentário para o Twitter?
  • Os comentários estão protegidos por login? Use o usuário do Twitter do seu visitante para possibilitar mais uma alternativa de autenticação.
  • Upload de vídeos? Dê uma folga para o seu data storage e faça o upload direto para o YouTube e busque as informações através da API.
  • Quer fazer transmissão ao vivo para os seus visitantes? Utilize toda a interação que ferramentas como o Twitcam oferecem para você.
  • Crie aplicativos para Orkut, Facebook e Smarthphones. Os seus usuários poderão ter um nível de interação muito maior e a experiência deles será muito mais rica.
  • Dê a possibilidade do usuário divulgar suas notícias, fotos, albuns e vídeos através das redes sociais que eles participam.
  • Crie aplicações onde o seu usuário possa acompanhar as atualizações das suas redes sociais através da aplicação da sua empresa ou start-up.

Essa lista pode crescer muito ainda. O importante é você ter a criatividade e começar a incluir as redes sociais no planejamento do novo produto ou site da sua empresa ou cliente.

[]’s
Igor.

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

Inscreva o seu grupo na Zend

A Zend anúnciou ontem no seu perfil do facebook que irá criar uma área no portal zend.com com o intuito de divulgar os grupos de usuários PHP. Não importa de que país e localidade seja o seu grupo de usuários php. Se você quiser divulgar o seu grupo no site oficial da Zend. Envie um e-mail para localphp[arroba]zend.com com as seguintes informações:

Nome do Grupo
Localização do Grupo (Pais e Estado)
Informações para contato
Site
Uma Logo
Curta descrição do grupo.

É uma boa notícia. Ter o seu grupo reconhecido pela empresa responsável pelo desenvolvimento da linguagem PHP é um ótimo empurrãozinho para o seu grupo crescer. Boa Sorte!

[]’s
Igor.

Posts Relacionados:

Um pouco sobre certificações (W3C)

Ontem aconteceu a Conferência da W3C Brasil. Infelizmente não pude ir, mas acompanhei tudo pelo twitter através da hash tag #webbr2009.

Diversos assuntos foram discutidos neste dia, dentre eles o que mais me chamou a atenção foi a quantidade de opniões divergentes com relação ao ter ou não ter certificações para os profissionais que lidam com o desenvolvimento front-end todos os dias.

De todas as opniões que foram expressadas neste dia, se juntar tudo e fazer uma categorização das opiniões, vocês vão ver que tudo gira em torno da desilusão dos profissionais quanto a este assunto.

Vi muitas pessoas sendo contra a certificação, pelo fato de muitos ja terem comprovado e sentido na pele o grande interesse de algumas instituições – que prefiro não citar – em vender somente o papel e não o conhecimento.

Depois da discussão que tive com alguns amigos que trabalham na área pude ver que as pessoas não são desiludidas com A CERTIFICAÇÃO em si. Os profissionais estão desiludidos na maneira como ela é vendida e mantida pelas instituições e a forma como as empresas fazem a utilização desta certificação.

A certificação é vendida como se fosse um curso qualquer. Onde o candidato à certificação entra em uma salinha, responde umas perguntas e sai certificado. O que é uma demonstração CLARA de que as instituições não estão nem um pouco interessadas no nível do profissional que sai dali com este papel de baixo do braço e sim pelo dinheiro dos que acreditam que este papel vai mudar o seu mundo – o que tem uma pitada de verdade.

Vi também que muitos estavam “indignados” pelo fato das empresas utilizar tais certificações como filtro em um processo de seleção. Veja bem, eu também acho isso uma sacanagem mas não acho isso, o fim do mundo. A empresa tem um senso equivocado as vezes pensando que se eles ignorarem todos os que não tem certificação e entrevistar somente o que tem estarão fazendo um bom negócio pois os que não tem é lixo – na visão deles.

Mas por outro lado em grandes corporações este filtro serve puramente para agilizar o processo. Imagina uma empresa com uma fila de 3 mil candidatos a uma vaga. Eles iriam demorar 5 anos para entrevistar todo mundo da forma mais humana e minuciosa possível, mas infelizmente, eles acreditam que mesmo ignorando 2 mil sem certificações eles acreditam que pelo menos 10% destes mil que sobraram sejam bons profissionais.  Se pensarmos por este lado, é totalmente aceitável o filtro quando aplicado em uma situação como esta – mesmo sabendo que eles podem ter perdido os steve jobs pessoal deles. Steve Jobs não tem nível superior, imagina ele procurando emprego? milhares de empresas aplicando seus filtros em cima de uma mente brilhante, cool. 😉

A minha opinião sobre estas certificações é: Devemos sim ter certificações. Quanto mais o nosso ramo amadurecer neste sentido e ter instituições que comprovem e testem os profissionais que atuam neste meio é mais um passo que damos rumo a extinção dos sobrinhos. Quanto mais formal tornarmos o nosso ramo de trabalho, mais dificulta o acesso das empresas sérias a profissionais sem compromisso e consideração com o ramo e as pessoas que atuam nele. Tevemos sim ter certificações, talvez tenhamos que amadurecer melhor esta idéia e talvez não oferecermos uma certificação de HTML ou CSS mas sim de Padrões Web, quem sabe…

Se a forma como tudo é “vendido” mudar, estas certificações servirão como uma forma de valorizar o profissional que possui esta certificação. Tudo tende a agregar valor.

Este é um ótimo assunto e que diferente de só fornecer a certificação, devemos GARANTIR que o profissional que porta este selo é um profissional que no mínimo se importa com a gente, com a nossa luta e principalmente, com o cliente.

Meu amigo Chris também falou e apontou suas consideração sobre o debate, vale a pena dar uma lida também.

[]’s
Igor.

Posts Relacionados:

Manifesto Slow

Cansado de ler sobre este manifesto no Twitter. Resolvi dar uma googada para sumir com a minha wtf-face. 🙂

O que é o Manifesto Slow?

O Manifesto Slow é um manifesto criado por não sei quem cujo este criou um site chamado (claro): Manifesto Slow. Se você se der o trabalho de acessar verá de cara um resumo curto e grosso sobre o que é este manifesto.

“Esse manifesto não contém nada. Porquê? Fazer um consumiria tempo. E tudo se resume em ganhar tempo. Tempo para que? Para não fazer nada.”

E nisto se resumi o Manifesto. Todas as dicas e pensamentos são escritos no blog do manifesto slow com o único objetivo: Poupar tempo. Todas as dicas são totalmente e unicamente em prol de não fazer nada ou fazer menos.

Se você ainda não entendeu nada, no blog do manifesto eles já publicaram alguns exemplos de como você deve fazer para se unir ao Manifesto Slow.

Na minha humilde opnião, você deve tomar muito cuidado na hora de escolher o que vai ouvir e o que vai jogar fora. Nesta lista que eles divulgaram tem apenas 7 exemplos sobre o que se trata o manifesto slow e duas delas eu discordo e uma eu diria que há controversa. Quando temos o dom da palavra é melhor tomarmos cuidado com o que dizemos pois isso pode se virar contra você ou não.

A grande questão é: Tudo isso é uma grande piada ou eles querem mesmo de alguma forma mudar o mundo? rs.

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

William Bonner fala sobre o Twitter

O Twitter é o serviço de microblogging mais famoso do sistema solar, porém, muitas pessoas ainda não fazem a menor idéia para o que serve e qual a sua real utilidade.

Acompanhando as atualizações do meu Twitter acabei me deparando com este vídeo onde o William Bonner fala sobre o Twitter, conta como ele faz o uso do Twitter e o que mudou na vida dele após a sua utilização.

Para quem ainda não entendeu o seu uso e não faz a mínima idéia para que serve, o video da uma clareada na cabeça de vocês.

Twitter do Willian Bonner: @realwbonner

William Bonner fala sobre o Twitter

[]’s
Igor.

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

CRM não é tecnologia, CRM é conceito!

Recentemente, tive uma aula muito interessante na faculdade onde foi discutido como funciona, na prática, um CRM ou Customer Relationship Management ou a Gestão de Relacionamento com o Cliente (como preferirem).

Acho importante compartilhar este conceito com vocês, pois muitas empresas pecam na hora de implantar um sistema que atenda o “conceito” da sua empresa e, de fato, fazem um bom relacionamento com o seu cliente. É muito importante entender o que é um CRM de fato, para depois agir em prol desta causa – fidelização, angarização e prospecto.

O CRM abrange, no geral, três grandes áreas dentro de uma empresa:

– Automatização da gestão de marketing.

– Automatização da gestão comercial, dos canais e da força de vendas.

– Gestão dos serviços ao cliente.

Vou falar sobre CRM utilizando as duas faces do conceito: o lado tecnológico e o lado conceitual, que é o mais importante.

CRM como conceito

Lembre-se sempre: antes de se agir em prol da causa, atendê-la. É muito importante. Conversando sobre as experiências com outros programadores e funcionários de outras agências, é comum constatarmos empresas que simplesmente compram qualquer “ferramenta” de CRM e começam a utilizar sem fazer qualquer tipo de planejamento.

Pensam: – Ah! Se o software diz pra eu fazer isso, irei fazê-lo! Deve ser o certo.

Wrong! Junto à uma equipe competente de marketing, a empresa deve definir todo o processo de relacionamento com o cliente que abrange as três grandes áreas da empresa.

– Automatização da gestão de marketing.

– Automatização da gestão comercial, dos canais e da força de vendas.

– Gestão dos serviços ao cliente.

Identificando os pontos e como funciona o conceito de marketing, devemos ir atrás de uma ferramenta ou seja, de uma tecnologia que atenda os pontos levantados e estudados pela equipe de gestão de marketing.

Imagine o quão desmotivado ficaria um funcionário se o setor dele funcionasse perfeitamente com as ferramentas que ele estava utilizando e, de repente, um gestor maluco colocasse uma ferramenta grotesca de CRM que fizesse com que ele demorasse nove vezes o tempo que ele levaria para fazer o que fazia do modo antigo.

Portanto lembre-se: entender o conceito é importante para não confundir na hora de mudar a empresa.

Quando o CRM dá errado…

É muito fácil identificar quando o CRM é aplicado de forma errada dentro de uma empresa.

Atire a primeira pedra quem nunca precisou ligar para uma empresa e teve que repetir seus dados cadastrais para cada setor que o atendente fosse te transferindo. É frustrante, certo?

Quando você, cliente, fica frustrado com algo ou alguém da empresa que presta serviço para você é porque o CRM está sendo aplicado de forma errada, (quem disse que CRM também não são pessoas?) ou está sendo aplicado de forma certa e colocado em prática utilizando a tecnologia errada.

Existem inúmeras falhas que poderíamos ficar relatando aqui incansavelmente, porém não é este meu objetivo. O importante aqui é você entender como deve fazer para evitar que o CRM da sua empresa vá por água abaixo.

Quando o CRM dá certo…

Para saber identificar quando o CRM de uma empresa está sendo aplicado de forma correta precisa-se de um pouco mais de contato com a empresa. Precisa explicar todos os setores da empresa e “experimentar” de perto como estão sendo feito os procedimentos internos.

O CRM não é um sistema só. O conceito é um só, porém é muito comum vários softwares fazerem parte do objetivo que o CRM propõe na sua essência.

Todos os setores da empresa vêem o cliente como uma coisa só. Todos partilham dos mesmos objetivos que são impostos em cada setor da empresa, porém o cliente é um só, sempre.

A integração e um bom processo de relacionamento com o cliente são a chave para felicidade da sua empresa e dos seus clientes.

CRM visto como tecnologia (Wiki)

O Customer Relationship Management é um sistema integrado de gestão com foco no cliente, constituído por um conjunto de procedimentos/processos organizados e integrados num modelo de gestão de negócios, do inglês “Customer Relationship Management”. O software que auxilia e apóia esta gestão é normalmente denominado sistema de CRM.

O seu objetivo principal é auxiliar as organizações a angariarem e fidelizarem clientes ou prospectos. Fidelizarem clientes atuais procurando atingir a sua satisfação total, através do melhor entendimento das suas necessidades e expectativas e formação de uma visão global dos ambientes de marketing.

Os processos e sistemas de gestão de relacionamento com o cliente permitem que se tenha controle e conhecimento das informações sobre os clientes de maneira integrada, principalmente através do acompanhamento e registro de todas as interações com o cliente, que podem ser consultadas e comunicadas às diversas partes da empresa que necessitem desta informação para guiarem as tomadas de decisões.

Uma das atividades da Gestão do Relacionamento com o cliente implica registrar os contatos por si realizados, de forma centralizada. Os registros não dependem do canal de comunicação que o cliente utilizou (voz, fax, e-mail, chat, SMS, MMS etc) e servem para que se tenham informações úteis e catalogáveis sobre os clientes. Qualquer informação relevante para as tomadas de decisões podem ser registradas, analisadas periodicamente, de forma a produzir relatórios de gestão.

– CRM Operacional: visa à criação de canais de relacionamento com o cliente.

– CRM Analítico: visa a obter uma visão consistente do cliente, usando os dados recolhidos pelo CRM operacional para obter conhecimento que permita otimizar e gerar negócios.

– CRM Colaborativo: foca na obtenção do valor do cliente através de colaboração inteligente, baseada em conhecimento.

Toda essa tecnologia só será recebida de forma positiva pela sua empresa e pelos seus clientes, se elas entenderem do conceito do seu negócio e de todas as suas premissas.

Resumindo…

Antes de querer revolucionar a forma como sua empresa se relaciona com o seu cliente, agrupe profissionais de valor no setor de marketing, para definir detalhadamente o negócio, o conceito e premissa da sua empresa.

Identificando e definindo perfeitamente estes pontos, vá em busca da tecnologia que atenda este conceito, estes valores suas premissas.

Posts Relacionados:

Como debugar aplicações AJAX/PHP com FirePHP

Tradicionalmente, existem duas maneiras de se debugar uma aplicação server-side: você pode utilizar qualquer uma Integrated Development Environment (IDE) com algum build-in debugger ou registrar seus processos de depuração exibindo no próprio browser.

Neste artigo veremos uma forma elegante, simples e mais sustentável de se debuggar aplicações Ajax via browser (especificamente o Mozilla Firefox). Você vai aprender a turbinar o seu Firefox unindo o Firebug e o FirePHP, tornando-o uma elegante ferramenta de depuração.

Introdução

Quando técnicas como Ajax se tornam populares nos ambientes de desenvolvimento, é comum que junto surjam também novos desafios, por exemplo: como podemos debuggar requisições e respostas Ajax de forma eficiente para aplicações complexas?

Se utilizar um debugger foi difícil o suficiente com um modelo RESTful, interceptar uma requisição ajax específica é um saco e um pouco mais difícil. Geralmente o dumping de logs e informações destas transações devem ser feitas via JSON ou XML.

É aqui que o FirePHP ajuda, permitindo que você registre suas mensagens de debug dentro do console do Firebug. O FirePHP não faz uma bagunça no seu código (e não exige que você modifique nada para pegar erros). As mensagens que você imprime são enviadas para o browser através de HTTP response headers, ou seja, as suas mensagens de debug não vão “quebrar” as respostas das suas requisições com mensagens e erros de debug e fazendo parar de funcionar toda a sua aplicação. A resposta vem limpa e todo o processo de depuração vem catalogado no console do Firebug. Isso faz com que o FirePHP não seja só o aplicativo ideal para você debugar suas aplicações PHP, mas também o seu PHP codebase inteiro.

O que é o FirePHP?

O FirePHP é um add-on para um add-on (ahn?): ele estende o popular Firebug. O FirePHP é grátis e fácil de instalar através da seção Mozilla Add-Ons no site oficial da Mozilla. O site oficial do FirePHP pode ser encontrado neste endereço: www.firephp.org,e Christoph Dorn é a pessoa responsável pela criação do FirePHP.

O que eu preciso para iniciar?

Como você deve ter adivinhado, são necessáriastrês coisas para fazer com que o FirePHP funcione, são elas:

  1. Firefox
  2. Firebug
  3. FirePHP

Se você não tem um ou todas as aplicações listadas acima, você pode clicar no link respectivo de cada uma delas e receber instruções de como instalá-las de forma adequada.

Se você está começando agora a estudar um pouco mais sobre web development, o FirePHP pode ser um pouco “manhoso” no começo, mas o projeto é acompanhado por uma boa documentação e você pode aprender facilmente.

Instanciando a API OO

No seu script, você pode utilizar o bloco de código abaixo para instanciar o FirePHP ($firephp):

require_once('FirePHPCore/FirePHP.class.PHP');
$firephp = FirePHP::getInstance(true);
$firephp -> [classmethod];

Instanciando a API OO com os métodos estáticos

Esse é o formato como você deve chamar os métodos do FirePHP:

require_once('FirePHPCore/fb.PHP');
FB::[nameofmethod];

A API Procedural

E aqui está como se utiliza a API procedural do FirePHP:

require_once('FirePHPCore/fb.PHP');
fb($var);
fb($var, 'Label');
fb($var, FirePHP::[nameofmethod]);

Nós não vamos entrar em detalhes com relação aos benefícios em utilizar cada uma das APIs, cabe a você decidir a melhor forma para VOCÊ. Em outras palavras, eu não quero iniciar uma guerra para decidir qual é a melhor forma, procedural x orientada a objetos. It’s up to you.

Gravando mensagens no Firebug Console

Agora vamos detalhar as formas como você pode lidar com o Console do Firebug.

Exemplos básicos de log de mensagens

Se você está debugando um bug, o exemplo a seguir pode ser útil para você:

Fb::log("log message");

Isso vai imprimir a mensagem que você passou como parâmetro dentro do console do Firebug:

Fb::log($array, "dumping an array");

Passando um array (chega de print_r nos seus scripts) e mostrando o seu conteúdo. O exemplo acima vai mostrar a seguinte saída no seu console:

Dica: Quando você passar o mouse em cima das mensagens que foram logadas no seu console, uma janela aparece com todas as variáveis logadas, tudo tabulado de forma legível para desenvolvedor. Legal, né?

Registrando uma mensagem de Informação

Aqui vai uma forma de você exibir mensagens informativas no console:

Fb::info("information");

E o seu console exibirá assim:

Mensagens de Aviso

Segue aqui uma forma de você gravar mensagens de aviso:

Fb::warn("this is a warning");

Mensagens de Erro

Segue aqui uma forma de você gravar mensagens de Erro:

Fb::warn("error message");

Habilitando/Desabilitando o registro de logs no Console

Quando o seu site vai para o ar é muito importante que você desabilite o FirePHP para evitar que a pessoa errada veja a informação certa na hora errada (rs).

FB::setEnabled(false);

O bom de tudo isso é que você pode manter todo o código que você escreveu para debugar o seu código dentro do código, sem que você precise tirá-lo ou comentá-lo quando for para o ar. Se a sua aplicação possui um arquivo de configuração, é interessante criar uma variável dentro dele que através da qual você consiga habilitar e desabilitar o FirePHP.

Conclusão

Antes de tudo, aqui vai uma imagem com todas as mensagens possíveis de se utilizar no FirePHP:

Neste artigo, cobrimos coisas bem básicas de se fazer utilizando o FirePHP para ajudar você a debugar e ganhar informações sobre as suas requisições nas suas aplicações Ajax/PHP de forma fácil e sustentável no seu próprio browser. Eu espero que estes resultados tenham convencido você a explorar outras alternativas para debugar seu código fora da “old-school” techniques (echo’s print’s etc.). Usar o FirePHP é fácil e conveniente, dá a você muito mais opções e dados para propósitos de debug.

No futuro, pretendo cobrir recursos mais complexos do FirePHP para fazer desta simples ferramenta de debug uma ferramenta poderosa, completa e robusta.

[]’s

Posts Relacionados:

Projeto BoletoPHP

Pequeno desabafo.

Eu sou uma cara bastante antenado, leio muito e estou frequentemente me atualizando, principalmente nas coisas que surgem por aí (não vou me aprofundar muito nesta questão). Não posso acreditar que até hoje, eu nunca tenha visto nenhum texto ou qualquer palavra de apoio para este projeto que se iniciou em 2006. Me senti na obrigação de divulgar para você este projeto Open-Source mantido e coordenado por Elizeu Alcantara. Uma iniciativa que achei muito bacana e vale o meu apoio. O Projeto se chama BoletoPHP.

Projeto código aberto de sistema de boletos bancários em PHP

Este projeto é mantido e coordenado por Elizeu Alcantara desde Maio/2006 e teve origem do Projeto BBBoletoFree, que teve colaborações de Daniel William Schultz e Leandro Maniezo, que por sua vez foi derivado do PHPBoleto de João Prado Maia e Pablo Martins F. Costa.

Qual o principal motivo deste projeto?

Criar um sistema de geração de Boletos que seja mais simples do que o PhpBoleto e que se estenda ao desenvolvimento de boletos dos bancos mais usados no mercado, além do Banco do Brasil do projeto BBBoletoFree. Este sistema é de Código Aberto e de Livre Distribuição conforme Licença GPL.
Ele visa atender exclusivamente aos profissionais e desenvolvedores na área técnica de programação PHP dos boletos, portanto se faz necessário conhecimento desejado e estudo do mesmo para a perfeita configuração do boleto a ser usado, sendo de inteira responsabilidade do profissional a instalação, o funcionamento, os testes e a compensação do mesmo em conta bancária, pois não damos suporte técnico, portanto mensagens enviadas a nós com dúvidas gerais, técnicas ou solicitações de Suporte não serão respondidas.

O projeto BoletoPhp não tem foco na questão administrativa, comercial ou jurídica, pois isto compete exclusivamente aos bancos devido as suas particularidades existentes de cada carteira de cada boleto. Maiores informações sobre o conceito de Boleto de Cobrança, você pode acessar aqui o site da Wikipédia.

Faça parte desta revolução e colabore com este projeto

Todos os voluntários terão seus nomes publicados na área de Créditos do site e do sistema, para valorizar os profissionais que sabem a importância de ter uma ferramenta com Código Aberto como esta em suas mãos e para os seus negócios e para os seus clientes, pois da mesma forma que você foi ajudado, você também pode estar retribuindo com 30 minutos do seu tempo e assim ajudando outros, e como num ciclo, sendo ajudado logo adiante com boleto de um outro banco que você pode precisar.

Parabéns pela iniciativa, Elizeu Alcantara e todos os outros que também ajudaram de alguma forma, projetos como este sempre terão o meu apoio e o meu reconhecimento.

[]’s
Igor.

Posts Relacionados:

Tradução: 31 dias para se tornar um blogueiro melhor.

Achei este texto interessante para as pessoas que costumam manter um blog então cai bem uma tradução para aqueles que tem mais dificuldade com o idioma.

Dia 1. Escreva melhor ’sobre’ a página. Escrever melhor ’sobre a pagina/blog’ ajuda a converter mais visitantes em fiéis leitores. Você pode ter uma página ‘ sobre’ mais efetiva simplesmente respondendo a pergunta: ‘O que esta página/blog tem a oferecer?’

Dia 2. Comece usando mais imagens em seus posts. Leitores gostam de imagens — Elas ajudam o tom do seu blog, ilustrando metáforas e geralmente tornam os seus posts mais interessantes de se olhar. Você pode usar um estoque gratuito de fotografias, mas você consegue também usar o sensacional Flickr images.

Dia 3. Escreva uma semana antes de antecêdencia. Desenvolvendo o hábito de escrever sempre antecipadamente ajuda você a te dar a segurança de conteúdo quando você estiver preguiçoso, ocupado ou sem inspiração. Escrever e publicar ao mesmo espaço de tempo conduzirá inevitavelmente a um errático hábito, por que seus leitores nunca sabem o que esperar de você. Escrever c0m andecêdencia o suficiente e poderá ganhar o dinheiro de ganhar um feriado blogger.

Dia 4. Desorganização da sua barra lateral(sidebar). A desorganização gosta da barra lateral da mesma forma que macacos gostam de árvores. Se você tem menos em sua barra lateral, Você pode concentrar maiores espaços para o que realmente importa (seus feeds, categorias e posts mais populares). Remova widgets desnecessários e coloque seu blogroll e arquivos de postagens em sua própria página dedicada. Também pode ser uma boa ideia remover anúncios de baixa performance.

Dia 5. Destaque seus posts mais populares. Colocar no seu blog de forma destacada os seus posts mais populares é uma ótima prática, por que isso da aos visitantes um novo lugar para ir. Eles não tem tempo para ficar procurando no seu blog um bom conteúdo: Eles querem ver o melhor que você tem a oferecer, imediatamente. Destacar estes links ajuda a manter os posts sempre vivos e os comentários sempre vindo, mesmo depois da postagens, meses depois

Dia 6. Comece fazendo amigos em serviços de redes sociais como o Digg ou StumbleUpon. Esses lugares são ótimos para você fazer o seu network, por que você vai estar mantendo um relacionamento com pessoas que tem potencial para estar enviando seus artigos para milhares de pessoas. Se você votar no seu conteúdo, talvez você estará colocando as pessoas para falar em favor do seu conteúdo no futuro.

Dia 7. Prova um post de sua autoria no mais popular blog do seu nicho. Posts de visitantes é um fantástico meio de trazer o seu perfil a tona e o tráfego de volta ao seu blog. Navegue no mais popular blog do seu nicho e pense em uma boa ideia para o próximo post (mas tenha certeza de que isso nunca foi postado anteriormente). Expresse sua ideia para o blog e comprometa-se em escrever um artigo completo caso for do interesse do mesmo. Se não, mesmo assim você consegue fazê-lo tentando em um outro blog, ou até mesmo no seu próprio blog.

Dia 8. Tenha uma lista de boas fontes. As listas são muito populares em serviços de mídia social e pode ser muito fácil de fazer, Principalmente se você já possui essa lista em mãos. Pegue um tópico do seu publico alvo é sutilmente interessante e crie um lista de tópicos relacionados com a mesma. Você pode usar a sua própria lista de favoritos se você tiver. Se sua lista estiver curta, use o del.icio.us e procure pelo seu tópico, você vai achar milhares de links úteis que as pessoas salvaram usando o tópico de sua escolha anexo a uma palavra chave.

Dia 9. Ofereça serviços gratuitos para os seus leitores (sem nenhuma expectativa de retorno). Se tratando de um redesing de um logo tipo, ideias, design review, votos de mídia social ou 15 minutos de consultoria grátis, dando algo de valor de graça sem expectativa de nada de volta vai deixar uma impressão duradoura nos seus leitores (e pode atrair alguns links também).

Dia 10. Prova seu link para um ou três blogs do seu nicho. Pegue o mais popular post do seu blog e repasse através de 3 grandes populares blogs do seu nicho. Se eles gostarem, Eles vão apontar um link para ele no próximo post.

Dia11. Adiciona links de midias sociais no rodapé dos seus posts e feeds. enquanto as pessoas votam no seu conteúdo através de barras de ferramentas, links em mídias sociais ou ícones relembra as pessoas a votarem a favor dos seus posts, se elas gostarem. É sempre mais que essencial adicionar esses botões em seus feeds, por que não há meio mais fácil para as pessoas votarem nos seus posts do que através dos leitores de feeds. Usando o FeedFlare você coloca um link ‘Adicione um comentário’ no rodapé dos seus feeds, é uma boa ideia. FeedFlares esta disponível Abaixo da tab ‘Publicize’ no painel de controle do seu Feedburner.

Dia 12. Participe dos comentários no seu blog. Os leitores sentiram que você esta interessando no que eles pensam a respeito do seu post, você pode aprender alguma coisa, e também incrementar o número de comentários no seus posts.

Dia 13. Trabalhe em um calendário editorial para o seu blog. É muito mais difícil escrever um post quando você sabe que o seu blog precisa de atualização. Trabalhando com um calendário editorial da ao seu blog um senso de ritmo. Isso pode te tornar mais produtivo impondo dead lines firmes para os próximos posts.

Dia 14. Seja mais rigoroso com a suas inscrições RSS. Eu acho que os blogueiros perdem muito mais tempo lendo blogs do que escrevendo. Escolhendo melhor a sua lista de blogs pode te ajudar a ganhar um tempo a mais. Se você se encontrar regularmente pulando posts de um determinado blog, ou se você não consegue pensar em nada que tenha aprendido neste blog, provavelmente seja melhor você remover este feed da sua lista.

Dia 15. Escreva um report ou um mini eBook. Poucas horas trabalho resultará em um relatório que você pode distribuir gratuitamente aos assinantes do feed, encorajando-os para compartilhar o mesmo, ou de qualquer forma trazer mais tráfego para o seu blog. Se for extremamente útil, o tráfego virá de forma viral.

Dia 16. Tente colocar novas fontes de renda em seu blog. Se eu não for muito claro, Programas de anúncios em blogs tendem ser incertos. Você pode estar muito feliz com o seu programa de anúncios atual, mas os serviços mudam(e como), E se mudar? E com essas mudanças vão junto o seus rendimentos? Se você monetiza o seu blog é uma boa ideia ter 2 bons programas de anúncios como opções, pois se algo da errado com um, você tem o seu backup(ou plano B…como preferir).

Dia 17. Pense em 20 ideias que você pode usar. Depois de saber o que você tem de escrever, começar se torna muito mais fácil. Tire um dia para fazer um brainstorm das 20 coisas que você quer ter em seu blog. Como alternativa, você pode simplesmente usar as vinte Ideias para seu post do Mark’s.

Dia 18. Agradeça seus leitores. tire um dia para dizer obrigado para seus leitores — mesmo que seja um curso espaço no final dos seu post. Claro!, se você quer inovar na hora de dizer obrigado aos seus leitores, é muito melhor para deixar uma boa impressão.

Dia 19. Atualize a versão do seu blog sempre!. Blogs desatualizados tendem a ter bugs e vulnerabilidades para ataques de hackers. Tenha certeza que na hora de atualizar a sua versão você tenha um backup da atual (e claro! saber o que você esta fazendo). Você precisa utilizar algum tempo para procurar mais detalhes sobre a transição de uma versão para outra.

Dia 20. Ótima força, passwords alfanuméricos para todas as contas. Se todas as senhas que você possui são iguais entre seus blogs, Palavras do dicionário ou letras somente, Seria muito fácil para um determinado hacker para quebrar uma de suas contas. Tire um dia para tornar as suas senhas mais fortes usando combinações de letras, números e pontuações ela precisa exceder 8 caracteres. Tenha certeza de estar guardando seus passwords em um local seguro (e as escreva com cuidado).

Dia 21. Sente e analise suas estatísticas do ultimo mês. As estatísticas dizem muito sobre o que você fez e o que você não fez. Analisar suas estatísticas durante um período pode relevar tendências, posts populares e qual das atividades promocionais que você se comprometeu a fazer eram dignas.

Dia 22. Peça a alguém para postar no seu blog. Se você é amigo de outro blog, convide-os para escrever no seu blog. Se o seu blog é mais popular que o deles você tem uma grande chance de ser aceito. O post de um visitante consegue inserir um pouco de frescor no seu blog, o mais importante, permite que você mantenha seu foco em outra matéria para o dia.

Dia 23. Pratique SEO no seu blog. SEO pode ser complicado, mas se você sabe um pouco sobre isso, tire um dia para revisar. Como alternativa, você pode aprender como otimizar o seu blog para os buscadores.

Dia 24. Compre uma campanha StumbleUpon de $5 dólares para o seu melhor post. $5 compra aproximadamente 300 visitantes. Se alguns destes visitantes resolver votar a favor do seus posts, o resultado pode ser uma gigantesca bola de nele cheia de visitantes muito mais que os seus 5 dólares pode pagar! Depois de começar você pode ler este post ProBlogger no Programa de anúncios StumbleUpon.

Dia 25. Crie uma logo personalizada para o seu blog, ou consiga alguém para fazer isso para você. O Blog branding é essencial. Se você usa um tema grátis sem nenhum distinção de branding, seu blog provavelmente vai parecer como outros milhares de blogs que usam o mesmo tema que você. Se você tem alguma habilidade em softwares de edição de imagens, crie uma logo customizada. Se você preferir a um passo a frente, você pode pagar um freelancer ou uma empresa para criar sua marca.

Dia 26. Entre para um fórum popular no seu nicho. Um link para o seu blog na sua assinatura do fórum pode trazer um pouco de tráfego e uma boa quantidade de comentários em outros blogs.

Dia 27. Use duas horas ou mais para cada post. Se você costuma utilizar várias horas em um único post você quer termina-lo agregando valor a ele. Investir um tempo extra em seus posts pode resultar em prêmios legais.

Dia 28. Esvazie sua caixa de entrada. Você precisa responder seus e-mails frequentemente, então por que não começar isso hoje? Uma caixa de entrada vazia para um blogger é sempre bem-vinda.

Dia 29. Comece a conversar com outro blogger do mesmo nicho. Diga Olá!, ofereça ajuda, comente nos posts que ele escreve — tanto faz faça isso, mande qualquer e-mail para outro blogger do seu nicho e não pergunte nada a ele. Se você conseguir uma conversa (ou uma conexão) isso pode criar oportunidades quando você faz um favor para um outro blogger e, depois, este favor pode ser devolvido.

Dia 30. Mantenha uma competição com um modesto prêmio. Quer seja um e-book, consultoria grátis, DVD ou um CD, um pequeno prêmio e uma pequena competição pode ajudar a impulsionar o leitor sem afetar suas finanças demasiadamente.

Day 31. Tire o dia de folga. Você mereceu isso! Sente um pouco e reflita sobre as três coisas que você fez para melhorar o seu blog. Você realmente deveria ter orgulho de si mesmo. ;)
Texto Original: 31 Days to becoming a better blogger.

Ufa! Realmente traduzir textos da trabalho :D
Tentei traduzir da melhor forma que eu pude, pode ser que tenha algumas coisas estranhas, mais foi de coração ;)

Espero que tenha contribuído!
[]’s
Igor.

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

As pequenas agências procuram um samurai, o que eu faço?

Hoje falo sobre um assunto bastante comum, principalmente para os pequenos garotos(as) que estão na disputa por um lugar no mercado de trabalho.

Neste post eu vou tentar convencer essas pessoas de que o cenário samurai, não é tão ruim quanto pensam.

Procura-se Web Designer

Procuramos Web Designer’s com no minimo “3 anos” de experiência que saibam: Photoshop, Corel e Flash.

Conhecimentos desejáveis: PHP, .Net, Ruby, MySQL, SQL Server.

Existem muitas vagas deste gênero em sites de empregos, e muitos já encaram estas vagas como algo “maligno”. Sim, para os profissionais que já possuem o seu espaço no mercado, é obvio que é, certamente, uma vaga com este perfil, é andar muitos passos para traz.

Estes dias estava conversando com o pessoal da Visie e a esposa do nosso amigo David (programador), estava tendo muitas propostas de emprego com este perfil e pelo fato dela estar começando e estar insegura, isso acabava gerando muitas dúvidas sobre como agir e que decisão tomar. Ela reclamava muito a respeito da descrição da vaga pois a vaga descrevia uma pessoa que necessitava de muitas habilidades que não tem muito a ver com a área da outra.

Pensamento Positivo!

Todo mundo começa de baixo, seja você um Ninja do Photoshop ou um Ninja programador. As empresas desconfiam de profissionais sem experiência, as grandes empresas querem profissionais qualificados e com experiência, já as pequenas empresas procuram os “meio termos” pois elas sabem que não podem pagar, nem manter, um profissional de qualificação superior dentro da empresa.

Desafie você mesmo!

Se você esta começando, encare estas vagas como um desafio, o lado bom de trabalhar em uma agência que procuram estes profissionais é que você aprende muito em um curto intervalo de tempo. O fato de você estar começando e a vaga exigir muitas habilidades como, design, programação, animação, arquitetura da informação, usabilidade e etc. Isso vai exigir muita pesquisa e muito esforço do profissional que esta neste time, é uma exploração? talvez… mas encare isso por este lado.

Quando estamos sendo engajados no mercado de trabalho, o objetivo é aprender, ganhar experiência, encare esta vaga como algo que vai exigir muito de você.

Mesmo que você não esteja confiante para exercer todas estas funcionalidades, encare esta vaga mesmo assim, é uma grande chance de você aprender.

Dê prioridade primeiro ao seu aprendizado, depois dê prioridade para as condições de trabalho, embiênte, salário, equipe etc.

Quando eu comecei a trabalhar com Internet, eu já tinha alguns anos de experiência, quando resolvi procurar emprego, as empresas tinham o pé atrás de me contratar, pelo fato de eu não ter experiência comprovada, ou seja, eu também comecei em agências que procuram samurais, todos começamos, encare esta oportunidade como uma grande chance de aprender. Certamente esta vaga vai te preparar para uma outra melhor.

Conhecimento nunca é demais!

Você pode ficar pulando de agência em agência, pode não dar certo em muitas delas, mas pode ter certeza que por cada lugar que você passar, você vai aprender algo novo. Pense por este lado! conhecimento nunca é demais e ninguém tira ele de você!

[]’s
Igor Escobar.

Posts Relacionados: