Tableless, o termo maldito ?

Recentemente, vi alguns profissionais e blogueiros revoltados com a repercussão do termo “Tableless” na mente dos pobres alunos e aprendizes.

Pensamento Tableless

Meu objetivo com este texto, é tentar salvar as pobres mentes puras de alguns destes aprendizes que talvez cheguem até aqui através dos buscadores, sites que estejam licando a matéria, etc. Provavelmente grande parte dos meus leitores já saibam exatamente o significado deste termo e como utilizar esta técnica na prática, o aprendizado é inevitável, cedo ou tarde você acaba descobrindo o que é Tableless de fato.

O Problema

O termo Tableless veio à tona no Brasil em 2003, pelos amigos Elcio Ferreira e Diego Eis, fundadores do site www.tableless.com.br, que incentiva o uso da técnica, com exemplos, mostrando benefícios, boas práticas de desenvolvimento e diversos assuntos que giram em torno do código fonte do desenvolvedor. Para a maioria destes aprendizes, este site pode se tornar evangelizador (rs), você entra crendo no poder das tabelas e sai como table-killer.

Esta é a visão interpretada pela maioria das pessoas. Sempre que alguém começa a ler sobre o termo, logo quer sair botando a mão na massa, e contar para todo mundo: – Agora eu sei Tableless, é fácil, é só nunca mais usar tabelas ;)

As pessoas tendem a ler o conteúdo pela metade ou rápido demais, ignorando detalhes, afinal, a sua teoria já esta embutida no seu próprio título certo? Errado!

Eu não sei ao certo o que acontece. É difícil identificar de quem é a culpa, enfim, de duas, uma:

Pode ser nossa (disseminadores de conteúdo), que passamos a informação as vezes incompleta, sem muita clareza, omitindo alguns detalhes, ou a culpa é do próprio leitor.

Tableless – Definitivo

O termo Tableless fez começo de 2008, 5 anos que o termo vem sendo falado, estudado e colocado na prática no Brasil.

O Tableless é um técnica de desenvolvimento web cujo o foco esta exclusivamente no seu código fonte. Antes de aplicar o tableless e sair por ai saltitando, estude a semântica das tags, amplie o seu conhecimento em relação às tags, se você não conhece o HTML a fundo, sua capacidade de criação de interfaces com Tableless fica muito limitada, e exposta ao famoso “jeitinho brasileiro” ou gambiarras, como preferir.

Tableless não é NUNCA mais usar tabelas, Tableless é usar as tags do HTML respeitando os seus valores semânticos, se você programa sob esta filosofia, automaticamente seu código no final será um código, semântico, compatível e claro, Tableless.

As tabelas foram criadas para exibição de dados tabulares e não para estruturação de layout e criação de interfaces.

A W3C diz:

“Tables should not be used purely as a means to layout document content as this may present problems when rendering to non-visual media.”

Tabelas não podem ser utilizadas meramente para definição da estrutura do seu layout, isso provavelmente vai gerar problemas na rederização para midias não visuais.

Se você parar para fazer uma análise, vai ver que é uma resposta meio lógica, se a web 2.0 encoraja o uso dos padrões web para o desenvolvimento, por que o Tableless, que é um técnica que surgiu junto com o amadurecimento da web, iria encorajar o contrário?

O termo talvez gera dúvida na cabeça das pessoas por que todos os lugares que você encontra fonte de informação principalmente no tableless.com.br fala-se muito em livre-se das tabelas, o fim das tabelas, tabelas nunca mais etc.

O autor do texto repete muito isso somente para fixar o objetivo do técnica e enfatizar o resultado em si. Mas em nenhum momento é citado que você deve esquecer as tabelas, se fosse somente isso, esquece-las, seria simples, tudo gira em torno de como se virar sem elas para fazer o básico o resto é com você.

Tableless = Menos tabelas (rs) e não livre de tabelas ou sem tabelas ou qualquer outra variante.

Aceita uma dica? Não leve as coisas tão ao pé da letra, tente entender o por quê das coisas antes de mudar.

Eu sei que este texto não vai chegar nem a 0,00000001% das pessoas que estão começando com desenvolvimento web, mas se este texto pelo menos ajudar uma pessoa a pensar diferente sobre o Tableless se encontrando na definição dos termos já vou ficar contente.

Links Úteis:

Espero ter contribuído!
[]’s

Posts Relacionados:

  • Nenhum post relacionado!

A importância das tags

Quando queremos estudar sobre qualquer assunto, é muito importante pesquisar não só o assunto em si, mais também, grande parte dos assuntos que o cercam, este é um grande diferencial que se levado a sério pode se tornar uma grande característica.

Por quê devo estudar a semântica das tags?

Quando falamos de semântica não falamos de uma só coisa, existem várias técnicas de codificação e formatação de hiper-textos que só podem ser concluída com êxito se levado o conhecimento semântico das suas tags e propriedades a sério como o tableless por ex.

Imagine como seria a criação de um layout tableless, se existissem somente 15-20 tags HTML, sim! aquelas principais que é mais comum de se encontrar nos layouts.

Imagine quantos ids e classes diferentes teríamos que criar, para definir todo o padrão visual de um site, se todas as tags se resumissem em 10 ou 20 tags de marcação que muitos estão acostumados a utilizar.

Então…qual a importância de conhecer o valor semântico das tags? ou melhor, não só das tags que você conhece , mas procurar conhecer novas tags sua história de uso e aplicação.

Quem trabalha com a criação de sites à muito tempo, pode ver na prática a diferença quando se conhece um numero limitado de tags e um numero mais abrangente, são dois lados da moeda, levando em conta que o estudo semântico das tags, não era levado muito a sério pelos desenvolvedores na época em que tudo se resumia em tabelas.

A codificação do seu documento html/xhtml fica muito mais rápida e menos “melosa”, quem não acha um saco ter que ficar toda hora lembrando o nome “daquela” classe ou “aquele” id definido no css para que uma tag assuma uma característica visual?

Quando conhecemos um numero maior de tags, podemos deixar o nosso código muito mais ramificado/desmembrado e independente de outros recursos, sem falar na hora da manipulação do documento utilizando DOM, tudo fica muito mais fácil e prático, por que eu só preciso simplesmente, criar o conteúdo, formata-lo, livre de classes e ids e com um código CSS bem escrito, toda a sua formatação e forma é automaticamente assumida.

Para tudo existe uma razão!

Enfie insto na cabeça, para tudo existe uma razão, todas as tag que conhecemos, foram criadas por um motivo, para atender uma demanda, por isso devemos estuda-las para utilizarmos somente para o que ela for pré-destinada.

Aonde posso aprender mais sobre semântica?

Separei alguns links interessantes para você que se interessa sobre o assunto e ainda tem “aquela” preguiça de pesquisar mais sobre o assunto, é muito complicado colocar no papel todos os benefícios de se aderir esta “característica” que comentei no começo do texto, somente utilizando na prática para poder saber o quão transformador pode ser este habito.

Web Semântica é uma extensão da Web tradicional
http://www.bax.com.br/news/News_Item.2004-04-29.8261853316

As premissas da Web Semântica
http://outrolado.com.br/Artigos/as_premissas_da_web_semantica__

A Semântica é que manda
http://www.tableless.com.br/a-semantica-e-que-manda

Introdução à semântica web
http://revolucao.etc.br/archives/introducao-a-semantica-web/

Web Semântica
http://www.encontros-bibli.ufsc.br/Edicao_18/2_Web_Semantica.pdf

Semântica Web
http://revolucao.etc.br/archives/category/semantica-web/

A web Semântica
http://www.tableless.com.br/a-web-semantica

Podcast – Microformatos e Semântica
http://brunotorres.net/blogbits-podcast-8-microformatos-e-semantica

Site recomendado – Semântico
http://www.semantico.com.br/

Introdução à web semâtica
http://www.acordapraweb.com/acorda-uma-introducao-a-web-semantica/

Espero ter contribuído!
[]’s

Posts Relacionados: